Criadouro Realengo
Frente Ambientalista Discute Manejo da Fauna Silvestre Destaque
Home | » Notícias » Frente Ambientalista Discute Manejo da Fauna Silvestre Destaque
A Frente Parlamentar Ambientalista, coordenada pelo deputado Sarney Filho (PV-MA) e a RENCTAS -Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres, promoveram café da manhã, hoje (3), para discutir os problemas que envolvem o manejo da fauna silvestre, como a criação comercial, conservacionista e científica da fauna nacional e a aplicação de uma política nacional de conservação da biodiversidade.

O coordenador da Renctas, Dener Giovanini, fez um desabafo, ao afirmar que a legislação que trata de animais silvestres no país, é frágil, causando grande insegurança jurídica para os vários setores envolvidos. "A lei, por exemplo, dá o mesmo tratamento ao grande traficante e a uma pessoa que mantenha um animal silvestre não registrado em casa. Já os criadouros enfrentam excesso de instrumentos normativos, que são alterados a cada momento", afirmou Dener Giovanini.

"Precisamos tratar a nossa fauna com o respeito que ela merece. É urgente, também, aprovarmos um Código Nacional de Fauna Silvestre com o objetivo de responder a um anseio da sociedade", cobrou o ambientalista.

Representantes de entidades ligadas ao tema informaram que existem hoje no país cerca de 500 mil criadouros conservacionistas, que enfrentam dificuldades diante das mudanças e indefinições da legislação e das competências na fiscalização da atividade.

A discussão do tema, segundo Sarney Filho "é fundamental para a construção de uma eficiente e concreta política nacional para a conservação da biodiversidade. Atualmente, o Brasil vem enfrentando grandes e profundas dificuldades e retrocessos setoriais que estão causando grandes prejuízos socioeconômicos e ambientais nos setores produtivos, científicos e conservacionistas". O coordenador defendeu os criadouros comerciais como forma de diminuir a pressão sobre a fauna silvestre.


Assessoria de imprensa do deputado Sarney Filho

Leia a notícia no site de origem